Notícias

Hipotireoidismo: alimentos e nutrientes que impactam na ação da tireoide (Parte 1)

SSIKA CARVALHO | CRN 3-28292
Nutricionista | Mestra em Ciência dos Alimentos | Pós graduada em Nutrição Clínica e Hospitalar

A tireoide é uma glândula que secreta dois importantes hormônios, a tiroxina (T4) e a triiodotironina (T3), ambos com efeito de controlar o crescimento, aumentar o metabolismo das proteínas, dos lipídeos e dos carboidratos, desempenhando funções na produção de proteínas estruturais, enzimas e outros hormônios.
Para que ocorra a produção e a função adequada dos hormônios da ti-reoide (HTs), são necessários muitos micronutrientes como iodo, selênio e zinco, entre outros.
A deficiência de hormônios da tireoide é chamada de hipotireoidismo, responsável por várias alterações corporais, que podem induzir doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) como obesidade, alterações nos níveis de triglicerideos, colesterol, LDL e HDL e até mesmo algumas neoplasias.
ATENÇÃO, a dieta é um dos fatores de risco para o surgimento e o agravamento do hipotireoidismo. Os principais sintomas incluem fadiga, sensibilidade ao frio, constipação, pele seca, memória prejudicada, fraqueza muscular e o ganho de peso inexplicável, mesmo com a diminuição do apetite.
Alguns alimentos e nutrientes podem influenciar no funcionamento da tireoide:
Iodo: A deficiência de iodo é a principal causa de hipotireoidismo primário em algumas regiões. Outra causa bem comum é a tireoidite autoimune (DAT), denominada de Hashimoto. O baixo consumo é mais comum em vegetarianos, pessoas que fazem restrição do consumo de sal sem orientação nutricional. Neste caso a tireoide adapta-se aumentando a secreção de TSH pela hipófise. Por outro lado, ingestões excessivas de iodo (20mg/dia) presente no sal de cozinha, também levam à DAT e ao hipotireoidismo.
As principais fontes alimentares, além do sal iodado, são os frutos do mar, leite e seus derivados, castanha do Brasil, pão e vegetais.
Selênio e Zinco são minerais que agem como cofatores ativando a enzima que converte o T4 em T3 reverso ou T3 ativo. A deficiência de selênio pode desempenhar papel importante na severidade do hipotireoidismo. Estudos sobre Zinco mostram que a suplementação restabeleceu a função tireoidiana normal em pacientes com hipotireoidismo. As principais fontes de selênio e zinco são as carnes e frutos do mar, a castanha do Brasil, feijão preto, farinhas integrais e peixes.

(Continua na próxima edição)



Fonte: http://avpgraficaejornal.com.br/layout/index.php/2019/01/21/hipotireoidismo-alimentos-e-nutrientes-que-impactam-na-acao-da-tireoide-parte-1/